Seu filho já esteve resfriado após a mudança de temperatura ? Então você precisa ler esse post: Vírus Sincicial Respiratório

Olá mamães!!

Tudo bem ?

Chega essa época e as manifestações respiratórias começam a aparecer, e nós não gostamos nem um pouco de vê-los assim. Vamos esclarecer um pouco sobre essas manifestações?

O vírus sincicial respiratório (VSR) é uma das principais causas de infecções das vias respiratórias e pulmões em recém-nascidos e crianças menores de 3 anos, é um de muitos vírus que pode causar bronquiolite (uma infecção dos brônquios, nos pequenos tubos respiratórios dos pulmões). Outras causas de bronquiolite, são influenza, vírus para influenza, ou adenovírus.

O vírus respiratório é transmitido de uma criança infectada pelas secreções do nariz ou da boca, por contato direto, ou gotículas. O período de maior contágio é nos primeiros dias da infecção. O período de incubação do VSR varia de 2 a 8 dias, normalmente 4-6 dias. É uma infecção sazonal, ou seja, epidemias anuais ocorrem durante o inverno e início da primavera.

A maioria das crianças com infecções respiratórias têm apenas sintomas leves, geralmente semelhantes aos sintomas de um resfriado comum. Em crianças menores de 2 anos, a infecção pode evoluir para sintomas mais comumente encontrados em bronquiolite.

Inicialmente, a criança terá um corrimento nasal, tosse leve e, em alguns casos, febre.

Dentro de 1 a 2 dias, a tosse piora e ao mesmo tempo, a respiração da criança irá tornar-se mais rápida e difícil. Ele pode ter chiado cada vez que ele expira o ar. Fica difícil de mamar, porque ele está tendo uma dificuldade para respirar.

Mesmo deglutição, torna-se muito difícil para essas crianças. Os dedos e os lábios podem ficar com cor azulada, um sinal de que sua respiração não está entregando oxigênio suficiente para a sua corrente sanguínea.

Nos estágios iniciais de uma infecção respiratória, você pode ajudar a aliviar os sintomas gripais do seu filho. Aspiração suave do nariz (aqueles aspiradores domésticos com a sucção da mãe sabem? ou de outra pessoa claro) e lavagem com soro pode ser útil. O uso de medicamentos sem prescrição do pediatra pode causar efeitos colaterais e não são eficazes para a criança.

Vaporizador não tem sido mostrado para ser útil. Mas inaladores podem ser usado para aliviar os sintomas.

Consulte o seu pediatra imediatamente se o bebê ou a criança:

  1. Tem dificuldades respiratórias
  2. Idade inferior a 2 ou 3 meses + febre
  3. Sinais de desidratação, como boca seca, choro sem lágrimas, e urinar com menos frequência

O seu pediatra pode solicitar exames laboratoriais de amostras provenientes do nariz e da garganta de seu filho para ver se o VSR ou outro vírus está presente.

* O vírus pode ser cultivado em culturas especiais, ou partes do vírus podem ser identificados por testes rápidos.

Não há tratamento eficaz para a VSR ou outros vírus (exceto influenza).

A observação para o agravamento é importante.

  • Se ocorrer piora, você deve levar ao serviço médico, pois crianças com bronquiolite podem ter que ser hospitalizadas para tratamento com oxigênio.
  • Se o seu filho é incapaz de beber por causa da respiração rápida, ele pode precisar de receber fluidos intravenosos. Em raras ocasiões, os bebês infectados vai precisar de um ventilador mecânico para ajudá-los a respirar e uma internação em UTI.

A maioria das crianças com infecções virais se recuperam em cerca de uma semana, e quase todos se recuperam totalmente.

Quase todas as crianças são infectadas com VSR, pelo menos, uma vez até os 2 anos de idade, e uma recorrência leve da infecção durante toda a vida é comum. Conforme a criança cresce, as infecções virais se tornam menos graves do que quando eram menores e geralmente são difíceis de distinguir de um resfriado.

Estas infecções podem tornar os portadores de doenças respiratórias crônicas mais graves:

  • Crianças com doença cardíaca congênita pode ter um caso mais grave de VSR. Algumas crianças necessitam de hospitalização, e alguns vão precisar de cuidados intensivos.

Seu filho deve evitar contato próximo com outras crianças e adultos que estão infectadas com o vírus. Em creches, boas práticas de higiene devem ser usados pela equipe e as crianças, incluindo frequente e completa a lavagem das mãos.

Palivizumab é um anticorpo que se pode reduzir o risco de infecção por VSR. Ele é dado como uma injeção intramuscular uma vez por mês para crianças que estão em maior risco de doença grave causada por VSR. Estes incluem muito prematuros e alguns bebês com doença pulmonar crônica.

Grupos de risco

Prematuridade (PT): A prematuridade é o principal fator de risco para hospitalização pelo VSR. Sistema imune imaturo, reduzida transferência de anticorpos maternos e reduzido calibre das vias aéreas são as condições associadas ao elevado risco.

Associam-se a elas: baixa reserva energética, freqüente desmame precoce, anemia, infecções repetidas e uso de corticóides. O risco de hospitalização decresce com o aumento da idade gestacional.

Cardiopatia Congênita (CC): A presença de malformações cardíacas está relacionada a uma maior gravidade e taxas de hospitalização maiores em infecções causadas pelo VSR.

A hiperreatividade vascular pulmonar e a hipertensão pulmonar são responsáveis pela gravidade do quadro. A taxa de admissão hospitalar nesses quadros é três vezes maior que a da população sem doença de base, com internação em terapia intensiva duas a cinco vezes mais frequente, requerem três vezes mais ventilação mecânica e tem hospitalização mais prolongada, com mortalidade de 3,4% comparada a uma taxa de 0,5% na população previamente sadia.

Doença Pulmonar Crônica da Prematuridade (DPC): A DPC da prematuridade é uma condição onde uma injúria pulmonar se estabelece num pulmão imaturo e que leva à necessidade de suplementação de oxigênio e outras terapias medicamentosas. Muitos estudos demonstram uma maior susceptibilidade desses bebês em desenvolver infecções graves pelo VSR .

Adicionalmente a este maior risco de hospitalização, crianças portadoras de DPC necessitam mais de ventilação mecânica, permanecem mais tempo hospitalizados (11 versus 4 dias) e são admitidos mais frequentemente em terapia intensiva (4 versus 0,2) quando acometidas por infecções pelo VSR, comparadas com crianças previamente saudáveis respectivamente.

 

Diagnóstico Laboratorial

O diagnóstico específico do Vírus Sincicial Respiratório (VSR) e outros vírus respiratórios são realizados através da coleta de secreção respiratória. O melhor material para coleta é o lavado nasal.
Entretanto, podem ser utilizados swab (um tipo de haste flexível) nasal ou de orofaringe. Em crianças em unidade de Terapia Intensiva intubadas podem ser realizadas coletas de aspirado traqueal ou de lavado broncoalverolar.

Particularmente em pacientes imunocomprometidos a coleta de secreção respiratória baixa pode ter maior positividade. Os testes detectam a presença do VSR na secreção respiratória.

 

Prevenção da infecção pelo Vírus Sincicial Respiratório

Medidas gerais Cuidados básicos para reduzir a transmissibilidade do VSR:

  • Higienizar as mãos antes e após contato com pacientes.
  • Limitar o contato com pessoas infectadas.
  • Intensificar os cuidados de higiene pessoal.
  • Orientar os familiares quanto à importância da higienização correta das mãos.
  • Fazer desinfecção das superfícies expostas às secreções corporais.
  • Isolar pacientes hospitalizados com suspeita de infecção por VSR.
  • Cuidados com pacientes que fazem parte dos grupos de risco.
  • Evitar exposição passiva ao fumo dos pais e familiares.
  • Vacinar contra Influenza crianças a partir dos 6 meses de vida até 2 anos de acordo com o Programa Nacional de Imunização do Ministério da Saúde.

 

Uma foto do meu pequeno “dodói” – muita hidratação neles! Graças a Deus já está bem..

Espero ter esclarecido um pouco a respeito. Sou fisioterapeuta intensivista, trabalho no ambiente hospitalar e quando o meu fica doente, parece que viro leiga, coração de mãe mole como todas vocês.

Um beijo, Jú

Fontes:

Hospital Sabará – Autor: Dr. José Luiz Setúbal

Ministério da Saúde

Sociedade Brasileira de Pediatria

Imagens: Google Imagens + arquivo pessoal

 

 

Mãe também é gente!

Olá mamães!

seminario_320x50.gif

A REVISTA PAIS&FILHOS PROMOVE O III SEMINÁRIO INTERNACIONAL MÃE TAMBÉM É GENTE EM PARCERIA COM GRANDES MARCAS DO UNIVERSO INFANTIL

Com o tema “Só cria filho feliz, uma mãe feliz”, o encontro contará com palestrantes

que são referências no mercado

Será no dia 4 de maio, das 8h30 às 17h30, na Unibes Cultural, em São Paulo.

O encontro, com capacidade para 300 pessoas, contará com a presença de Laura Gutman, autora do best-seller O Poder do Discurso Materno; Patricia Camargo, sócia do projeto TempoJunto; Dado Schneider, idealizador da palestra “O mundo mudou…bem na minha vez”; Marcos Piangers, escritor do livro best-seller O Papai é Pop, e Ana Cardoso, escritora do livro de crônicas Mamãe é Rock!. Além disso, pensando na troca de experiências e interatividade, o evento promoverá uma mesa-redonda comandada por Mônica Figueiredo, diretora da redação da Pais&Filhos.

Em parceria com as marcas Pompom, Lillo, Mam Baby, Infanti, R7, Casa de Livros  e Unibes Cultural, a Pais&Filhos aposta no evento com o objetivo de fazer com que as mães entendam o mundo em que vivem, encarem a vida de uma forma mais leve, parem de se culpar e aproveitem de forma plena esta fase e a infância dos filhos, sendo mais felizes e, consequentemente, criando filhos mais felizes.

Com o desafio de seguir como referência de conteúdo destinado a este público, para Adriana Cury, diretora de marketing da Pais&Filhos, “Esta iniciativa em parceria com grandes marcas, levantará discussões importantes para a reflexão sobre o equilíbrio entre essa nova mulher após se tornar mãe e a sua vida pessoal, profissional e aspirações. Além disso, outros questionamentos que são relevantes para o dia a dia dessa figura feminina que é antenada e independente, e quer aproveitar ao máximo o tempo com os filhos, sem deixar de ser mulher”.

Os interessados poderão fazer o cadastro no http://www.seminariopaisefilhos.com.br

e as vendas dos ingressos ocorrerão em três lotes, com preço que varia entre R$ 50 e R$ 150.

 

Local: Rua Oscar Freire, 2.500 – Espaço Cultural Unibes – São Paulo

Ingresso: de R$ 50 a R$ 150

Programação

8h30: Welcome Coffee

9h: Só cria filho feliz, mãe feliz, com Mônica Figueiredo, diretora editorial da Pais&Filhos

9h30: Laura Gutman, psicopedagoga e autora do best-seller O Poder do Discurso Materno.

10h30: Coffee Break

11h: Patrícia Camargo, sócia do projeto Tempojunto

12h: Horário livre para almoço.

13h30: Dado Schneider, escritor e idealizador da palestra O mundo mudou…bem na minha vez

14h30: Mesa-redonda com Mônica Figueiredo e convidados

16h: Coffee Break

16h30: Marcos Piangers, escritor do livro best-seller O Papai é Pop, e Ana Cardoso, escritora do livro de crônicas Mamãe é Rock!

17h30: Encerramento

Sobre a Pais&Filhos

A Pais&Filhos (www.paisefilhos.com.br) nasceu em 1968 com a primeira revista do segmento parents do país. Com o mote “juntos é possível formar famílias mais felizes”, além da revista publicada mensalmente, a marca conta com diversos títulos especiais e suplementos com suas versões impressas e mobile iOS e Android. A Pais&Filhos segue como referência no segmento e presente nas principais redes sociais como Facebook, Google +, Twitter, Instagram, Pinterest, e YouTube que somam mais de 4,2 milhões de seguidores.  Com 200 mil leitores da versão impressa, somada aos demais produtos e plataformas, atinge uma audiência de mais de 200 milhões de pessoas mensalmente se consolidando como a maior produtora e distribuidora de conteúdo sobre família no Brasil. A marca também disponibiliza aos leitores, os apps Gravidez Semana a Semana e Amamentação bem como vídeos que apresentam receitas, dicas, coberturas de eventos que podem ser acessados no canal do YoutTube. Com o objetivo de compartilhar momentos e conhecimento com as famílias, a empresa ainda realiza ao longo do ano eventos com palestrantes de peso abordando os temas mais relevantes e atuais para mais de 600 pais e mães que marcam presença para compartilhar experiências.

Eu estarei lá! Espero conhecer muitas de vocês!

Um beijo, Jú!!

Card_seminario_frases_.png

 

Card_seminario_frases_2.png

 

Card_seminario_frases_3.png